Justiça Federal instala 3.ª Vara Criminal em Foz do Iguaçu nesta quinta-feira

09/02/2011

O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) e a Justiça Federal do Paraná (JFPR) realizam a instalação da 3.ª Vara Federal Criminal de Foz do Iguaçu, no dia 10 de fevereiro, quinta-feira.

A implantação da Vara faz parte de um plano de especialização na região da tríplice fronteira (Argentina, Brasil e Paraguai) abrangida pela Subseção Judiciária de Foz do Iguaçu, com o objetivo de combater, por meio da ação da Justiça, crimes de contrabando, descaminho e violação de direito autoral previstos nos artigos 334 e 184 do Código Penal.

Participam da implantação da 3.ª VF Criminal de Foz do Iguaçu, o presidente do TRF-4, desembargador federal Vilson Darós, o diretor do Foro da JFPR, juiz federal Danilo Pereira Junior, o secretário de Segurança Pública do Paraná, Reinaldo de Almeida César, e o superintendente da Polícia Federal no estado, Maurício Leite Valeixo, entre outras autoridades.

A 3.ª VF Criminal, assim como a 1.ª VF Criminal, terá competência para processar e julgar os crimes praticados por organizações criminosas, independente do caráter transnacional das infrações.
Com a instalação da nova vara, a 2.ª Vara Federal Criminal de Foz do Iguaçu passa a processar e julgar com exclusividade os crimes de contrabando e descaminho e violação de direito autoral, além de atuar também como Juizado Especial Federal Criminal.

A 3.ª Vara Federal Criminal de Foz do Iguaçu é a segunda instalada no Paraná a partir da Resolução nº 102/2010, aprovada pelo Conselho da Justiça Federal, após a criação de 230 novas varas federais em todo o país pela Lei n.º 12.011/2009. A primeira foi em Guaíra, em agosto do ano passado. Até 2014, serão implantadas na Seção Judiciária do Paraná outras seis varas federais – mais uma em Foz do Iguaçu (2012), uma em Curitiba e outra em Ponta Grossa (2013), e outras três distribuídas entre Apucarana, Campo Mourão e Curitiba (2014).

Na 1.ª VF Criminal de Foz do Iguaçu tramitam atualmente 4.946 processos criminais; apenas em 2010, foram distribuídos um total de 3.082 novos processos desse tipo na Vara. Na 2.ª VF Criminal a demanda é semelhante: tramitam 4.015 processos criminais, sendo que 3.012 foram distribuídos no ano passado (dados oriundos do TRF-4).

A Subseção Judiciária de Foz do Iguaçu possui jurisdição sobre os municípios de Céu Azul, Entre Rios do Oeste, Foz do Iguaçu, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Helena, Santa Terezinha de Itaipu, Serranópolis do Iguaçu e São Miguel do Iguaçu.

Serviço

Cerimônia de implantação e instalação da 3.ª Vara Federal Criminal de Foz do Iguaçu
Data: 10 de fevereiro de 2011
Horário: 17h
Local: Sede da Justiça Federal em Foz do Iguaçu-PR (Endereço: Rua Edmundo de Barros, 1989)

Fonte: Paraná Online



Mais Notícias em AJUFE



  • Granajs têm novas regras para obterem certificação

    sanitária animal correspondente. Caberá às empresas manterem os registros que permitam identificação e a rastreabilidade de cada lote de aves e ovos produzidos.                         Além disso, ela define ações a serem tocadas pelo Serviço Veterinário Oficial (SVO), como a realização anual

  • Conferência Estadual vai debater Direitos Humanos e da Terra

    Direitos Humanos e da Terra, a ser encaminhado para votação na Assembleia Legislativa.   O secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho, explica que desta forma, a publicação deste texto-base se propõe a

  • Unemat promove Semana Jurídica

    pretendemos, para a próxima Semana Jurídica, aumentar esse número de produção acadêmica em relação à produção de artigos, resumos e pôsteres”, conclui a presidente.                                   As atividades da Semana Jurídica prosseguiram com o painel Atuação do Ministério Público Federal

  • Sefaz se manifesta sobre decisão de bloqueio de bens

    foi consultada e nem ouvida, tampouco oportunizada ao direito do contraditório e ampla defesa, ficando impedida de informar que o referido benefício foi glosado pelo órgão fazendário;4) Por fim, vale ressaltar que o secretário Marcel de Cursi encontra-se à disposição

  • Garcez enviou relatório de ilegalidade de obra em 16 de março de 2014, sem providências do CNJ, MPF e TCU

    erguida em região de mangue no Rio (Cidade Nova), e que foi cancelada por unanimidade no plenário. O magistrado informa, porém, que, até o momento, não houve "nenhuma" providência por parte do TCU, CNJ e MPF. No Tribunal Superior Eleitoral

Comentários estão encerrados.

Previous post:

Next post: