Governo do Estado apresenta proposta de reajuste salarial para o magistério

29/01/2014

Governo do Estado apresenta proposta de reajuste salarial para o magistérioDetalhesPublicado em Quarta, 29 de Janeiro de 2014, 16:53

O governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação, apresentou nesta quarta, 29, as propostas de reajuste salarial para o magistério neste ano de 2014. A medida beneficia os 60 mil professores da rede, entre ativos, inativos e ACTs (contratados em caráter temporário). O impacto projetado é de R$ 130 milhões ao longo de 2014.
Para os professores que recebiam abaixo do piso de 2014 (R$ 1.697,32), a atualização do valor já ocorreu automaticamente na folha de janeiro. O reajuste do piso em 8,32%, passando de R$ 1.567,00 para R$ 1.697,32, foi determinado pelo Ministério da Educação e divulgado em dezembro.

Para os professores que já recebiam acima do piso 2013 (R$ 1.567,00), a proposta do governo do Estado aponta um reajuste de 8,5% de forma parcelada ao longo de 2014 (descontado o que for concedido automaticamente em janeiro).

A proposta foi avaliada pela equipe técnica do governo e apresentada ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte-SC) nesta quarta. Após a reunião, foi definido o parcelamento do reajuste da seguinte forma: 2% em janeiro, 2% em julho e 4,5% em dezembro.

A proposta precisa ser aprovada pela Assembleia Legislativa. O governador Raimundo Colombo deve encaminhar o material na próxima semana para os deputados. O secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, ressalta a evolução dos salários do magistério catarinense nos últimos anos. O piso da categoria no Estado, sem incluir regência, abonos e vale alimentação, passou de R$ 609,46 em 2010 para R$ 1.697,32 em 2014, um aumento de 178%. No mesmo período, o salário mínimo brasileiro aumentou 45% e a inflação subiu 26%.

Em 2012, os reajustes concedidos para o magistério catarinense variaram entre 8% e 22%, sendo 22% para quem recebia o piso. E, em 2013, ficaram entre 8% e 15%, sendo 8% para quem ganhava o piso.

Evolução
Salários para jornadas de 40 horas semanais

Piso do magistério catarinense (sem incluir regência, abonos e vale alimentação)
2010 – R$ 609,46
2014 – R$ 1.697,32

Salário inicial professor ensino médio (com regência de 25%)
Em 2014, o professor do ensino médio receberá R$ 200 de bolsa formação
2010 – R$ 1.461,50
2014 – R$ 2.508,80

Salário inicial professor anos iniciais (regência de 40%)
2010 – R$ 1.610,48
2014 – R$ 2.780,72

Informações adicionais:
Alexandre Lenzi
Secretaria de Estado de Comunicação 
E-mail: 
Telefone: (48) 8843-4350



Mais Notícias em Governo-SC



  • Presidente do TRE-RJ proíbe venda de prédio do tribunal no Porto Maravilha

    "insensatez" de uma negociação, com possibilidade de prejuízo ao Erário. Em dezembro de 2013, o TRE-RJ aprovou por unanimidade a suspensão da obra do novo edifício-sede na Cidade Nova, determinando processo administrativo para apurar diversas ilegalidades na licitação e execução

  • Plenário anula contrato de construção da nova sede

    Zveiter em 2012. Em sua decisão de 180 páginas, Garcez Neto aponta a violação de várias leis, entre elas a Lei de Licitações 8666, que redundou num prejuízo até agora de R$12 milhões aos cofres públicos. O presidente do Tribunal

  • Presidente anula contrato de construção da nova sede

    seria erguida na Cidade Nova. Entre os princípios violados na concorrência vencida pela Lopez Marinho Engenharia e Construções Ltda estão o da legalidade, eficiência, isonomia, competitividade, economicidade e proposta mais vantajosa. A construtora teve negado o direito à indenização e

  • JEC Central: em busca de um Judiciário mais célere

    se restringe às causas cujo valor não exceda o equivalente a 40 salários mínimos e, para aquelas que não ultrapassam 20 salários, não há necessidade de a parte ser representada por advogado. “Ao estabelecer boa parte da competência em salários-mínimos,

  • Agricultores de Glória receberam R$3 milhões para acesso à terra e atividades produtivas

    correspondem à realização de projetos comunitários com recursos do Projeto de Combate à Pobreza Rural – Prosperar, resultado do acordo de empréstimo entre o Governo Estadual e o Banco Mundial e também com recursos do Programa Nacional de Crédito Fundiário,

Comentários estão encerrados.

Previous post:

Next post: