AGU demonstra que é ilegal equiparação de auxílio alimentação de servidores Funasa com os do TCU

05/08/2011

Data da publicação:

A Advocacia-Geral da União (AGU) comprovou, na Justiça, que é ilegal a equiparação do auxílio alimentação de servidora da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), em Goiás, com o benefício pago funcionários do Tribunal de Contas da União (TCU).

A Procuradoria Federal no Estado de Goiás (PF/GO) e a Procuradoria Federal junto à Funasa explicaram que a Constituição Federal veda expressamente a equiparação de qualquer espécie de remuneração de efeito pessoal do serviço público. Também destacaram que o auxílio-alimentação tem o valor definido por ato normativo determinado por cada Poder.

Os procuradores federais sustentaram que o Poder Judiciário não pode interferir na esfera do Poder Executivo para obrigá-lo a conceder reajuste remuneratório ou alterar benefícios de servidores, sob pena de afronta ao princípio da Separação de Poderes.

Uma servidora da Funasa havia ajuizado ação solicitando que o valor do seu auxílio-alimentação fosse igual aos pagos a quem trabalha no TCU.

O juízo da 13ª Vara do Juizado Especial Federal da Seção Judiciária de Goiás acolheu os argumentos da AGU e impediu a equiparação dos valores. Na decisão, o magistrado sinalizou que, de acordo com a Súmula nº 339 do Supremo Tribunal Federal, “não cabe ao Poder Judiciário, que não tem função legislativa, aumentar vencimentos de servidores públicos sob o fundamento de isonomia”.

A PF/GO e a PF/Funasa são unidades da Procuradoria-Geral Federal, órgão da AGU.

Ref.: Ação Ordinária nº 9161-59.2011.4.01.3500 – 13ª Vara do Juizado Especial Federal.

Uyara Kamayurá



Mais Notícias em AGU



  • Juiz em Independência: Subseção da OAB nos Inhamuns promoverá audiência pública

    uma agência bancária e não possui condições de acessibilidade a deficientes físicos e idosos. Além disso, a Comarca de Independência está há quase 7 anos sem a realização de uma inspeção do Tribunal de Justiça. A audiência foi resultado de

  • Saiba como cancelar recebimento de mensagens publicitárias de operadoras de telefonia no celular

    bloqueio pelo portal de relacionamento 'Minha Oi'. Vivo: envie um SMS com a palavras “SAIR” para o número 457, solicite o bloqueio ligando para *8486; ou por meio do site www.vivo.com.br/meu vivo. O Procon Estadual é um órgão vinculado à

  • Crimes podem ser denunciados pelo WhatsApp

    atuam no Disque-Denúncia 197, e são imediatamente encaminhadas aos distritos policiais ou às delegacias especializadas, de acordo com teor da denúncia. Para o delegado-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski, é importante que a população tenha à disposição um instrumento

  • Polícia fecha casa de jogos ilegais de Caldas Novas

    caça-níquel, videobingo e videopôquer foram apreendidas. A operação foi desencadeada minutos após a abertura do estabelecimento, quando chegavam os apostadores. No local, a polícia prendeu dois homens por crime de exploração de jogos de azar. Também nesta segunda-feira, a Polícia

  • Audiência discute licitação para placas dos carros

    o fornecimento de placas veiculares em todo o Estado. O primeiro passo é a realização de uma audiência pública, nesta quarta-feira, dia 30, às 14h30, no Auditório Leonardo Rodrigues, do Instituto de Criminalística, na Cidade Jardim, em Goiânia. Para debater

Comentários estão encerrados.

Previous post:

Next post: