A última fronteira de encontros on-line são as aplicações para encontrar um parceiro na sua área dentro de uma hora. Vocês vão fazer sexo sem compromisso e logo em seguida esquecer um do outro. O software é baseado em algoritmos que conhece nossos gostos e preferências sexuais.

05diadosexomicosAbra o aplicativo, que contém apenas uma imagem sua, uma frase de apresentação, e sua localização geográfica. Sem mais pormenores, nem mesmo um nome. Clique e submeta por uma hora à avaliação dos outros usuários que estão usando o aplicativo naquele momento, dentro de poucos quilómetros de distância. O sistema vai mostrar para você fotos de outros usuários, homens ou mulheres em base ao seu interesse, se você gosta dele/dela – e ele/ela gosta de você – abre um bate-papo, que pode terminar em um encontro de sexo casual.

Tudo no espaço de uma hora, após o que as imagens e as mensagens desaparecem, a ligação é interrompida. Nesse ponto, a única coisa que você pode fazer é postar para mais uma hora a sua imagem, e por consequência sua declaração de disponibilidade naquele espaço de tempo.

É assim que funciona o espartano e um pouco alucinatório mundo de Pure, uma das as últimas novidades no mundo dos encontros on-line. A paquera reduzida ao caroço: uma foto digital, talvez até um selfie; suas coordenadas geográficas; e a disponibilidade para se encontrar com alguém, naquele momento.

O aplicativo é muito simples de usar, mas depois dos primeiros passos gratuitos é preciso pagar pacotes de horas. Embora tenha uma certa popularidade, especialmente no exterior, levantou muitas sobrancelhas, principalmente por sua eficácia.

Fizemos alguns testes em diferentes cidades, e apesar de ter cruzado algumas pessoas que afirmaram estavam experimentando o App por curiosidade, na maioria dos casos não encontramos usuários conectados naquele momento na área. A força de uma ferramenta como esta, dizem alguns observadores, é a confidencialidade. Quem usa nem sequer precisa colocar seu nome e não cadastra seus dados em um site na Net. As interações são excluídas quando a hora termina. Tudo acontece de forma subterrânea. Em uma inspeção mais minuciosa, uma das aplicações futuras mais provável do aplicativo, talvez até mesmo inesperada por seus criadores, seria facilitar o mercado da prostituição. Além de seu slogan é “encontros a pedido”.

SexoO fato é que Pure é apenas o destilado a um teor alcoólico mais elevado de uma tendência crescente do dating para ser mais explícito e funcional. Um caminho aberto por aplicativos como o Grindr, dedicado à comunidade homossexual, ou a sua imitação heterosexual, Blendr. Mas também a partir de sites e ferramentas como o Bang With Friends, que tinha decidido capitalizar a rede de amigos de Facebook com uma proposta indecente: diga com quem você gostaria de ter sexo entre seus contatos e se ele/ela mostrar o mesmo interesse, mas só então, os dois serão informados do interesse mútuo. Nesse ponto, o que fazer é com vocês. Deve ter parecido uma grande ideia, para seus criadores, mas não teve o sucesso desejado, a tal ponto que, também por disputas de direitos autorais, mudou seu nome e estilo. Agora se chama Downapp e tem amolecido bastante sua abordagem: menos viciado em sexo, expandiu a sua gama para incluir nas listas de candidatos elegíveis para um encontro quente também os “amigos de amigos” no Facebook.

Além do excesso representado por Pure, a geolocalização é agora um recurso no qual apostam muitos serviços de encontros. Sabem disso muito bem no Badoo, uma rede social voltada para conhecer novas pessoas, nascidas em 2006, e que no Natal passado cruzou a linha dos 200 milhões de usuários em vários países, incluindo o Brasil.

“Nosso recurso mais popular é o jogo dos Encontros, que permite aos usuários encontrar as pessoas na sua área geográfica, com a ajuda de fotos, interesses e informações do perfil”, diz Carl Zide, gerente de comunicação de Badoo. “A ligação é criada quando dois membros gostam um do outro. Todos os dias os nossos usuários visitam 563 milhões de perfis, resultando em quase 10 milhões de combinações por dia. A regra de que ambos os parceiros devem mostrar interesse impede as pessoas de receber mensagens indesejadas e elimina o sentimento de rejeição que você pode experimentar no bar ou em um site de encontros.”

Ninguém, no entanto, se abre respeito ao dado decisivo dos serviços de namoro: o número real de mulheres.

“Ao contrário de outros, prestamos grande atenção à moderação de cada foto de perfil para verificar a autenticidade e segurança”, diz Zide. “Vamos examinar manualmente 3.000.000 de imagens por dia. Estes esforços permitiram um aumento de quase 20 por cento dos usuários de sexo feminino.” Cujo percentual absoluto, no entanto, não é divulgado.

Outra das mais recentes tendências em encontros é confiar cada vez menos no discernimento dos membros e mais em sistemas automatizados que avaliam os gostos. A tendência é ir em direção do modelo de Amazon, que se baseia mais sobre a história dos usuários que sobre suas preferências declaradas: em suma, se você gostou deste cara você também vai gostar deste outro.

Bem, a julgar pelo que você encontrar na Net, parece que as pessoas gastam todo seu tempo tentando encontrar maneiras de abordar atrás de um monitor. Mas também a paquera digital pode tornar-se uma pista de obstáculos. Primeiro de tudo muitos desses sites são apenas aparentemente são gratuitos. Por que, para acessar as funções básicas para interagir com os outros, precisa pagar, por exemplo, em Zoosk para poder usar o bate-papo, para não ter limites sobre as mensagens e desbloquear dados adicionais sobre os perfis é preciso comprar fichas, algo parecido acontece na comunidade virtual sexocasual.net.br, que se auto-define o Facebook do Sexo. Enquanto em outros casos, por exemplo, em certos serviços voltados para aqueles que procuram histórias serias, como Be2 e ParPerfeito, existem subscrições que são renovadas automaticamente cada mês, a menos que você preencher um formulário de cancelamento no prazo de sete dias antes da data de renovação.

Depois, há a espinhosa questão dos dados pessoais, que em alguns casos são coletados com detalhes finos por questionários longos (Parship também pede o código de imposto, renda e situação familiar). Quanto vai permanecer online dos nossos dados depois de ter perdido o interesse no site? Eles serão excluídos? Ou compartilhados com outros sites?

A questão não é ociosa: de acordo com uma investigação da BBC alguns serviços de namoro na Internet reciclam perfis, fotos e informações das pessoas para criar perfis falsos para aumentar o número de membros e tornar seus sites mais atraentes.

Para conquistas alguém na Web em suma, você deve saber como fazer malabarismos em uma selva de propostas nem sempre claras. E mesmo que diminuam os “fora” tem o risco que aumentem os fakes.