Policiamento de fronteira terá o auxilio de torres para comunicação de rádio

28/08/2013

Segundo informações da Gerência de Convênios da Sesdec, duas das três torres possuem 60 metros de altura, e essas serão destinadas para Costa Marques e São Francisco, e a outra, com 24 metros de altura será instalada em Nova Mamoré. O objetivo é dar agilidade nas ações de segurança de fronteira, oferecendo comunicação de rádio entre os policiais, interligando os pontos de segurança.

As torres serão entregues e montadas pela empresa Tecnor Indústria e Comércio e devem facilitar o trabalho do policiamento de fronteira já que nas áreas onde serão instaladas não existe sinal para comunicação.

Texto: Vanessa Farias
Fonte: Assessoria Sesdec



Mais Notícias em Governo-RO



  • Rejeitada multa ao presidente do BB por propaganda na internet

    do governo federal em duas publicidades do banco na internet (YouTube). O Tribunal deixou, no entanto, de aplicar multa ao presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, já que a instituição cumpriu imediatamente a liminar dada pela ministra. ÂOs ministros

  • Concluídas obras de acessibilidade no Plenário da Câmara

    próprios da Casa. Foram instaladas duas rampas de acesso à mesa, que também servirão para facilitar a chegada às tribunas usadas pelos parlamentares para os discursos – situadas dos lados esquerdo e direito da mesa. As rampas atendem aos padrões

  • Clipping diário

    de hospital é condenado a 27 anos de prisãoG1 - AcreAcusado de matar funcionária em assalto a hospital no AC é condenado Juruá OnlineTJAC entrega Selo Enasp e presta homenagens em CZS O Alto Acre MP garante condenação de acusado

  • Portarias regulamentam Lei Seca e condutas no dia da eleição

    João Maria Lós, expediu as Portarias nº 30/2014 e nº 31/2014 para regulamentar a Lei Seca e definir regras complementares de conduta nas Eleições 2014.De acordo com a Portaria nº 30/2014, fica proibida a venda e consumo de bebidas alcoólicas

  • Suspenso julgamento sobre estabilidade para funcionário da Fundação Padre Anchieta

    mesma posição foi defendida pelo representante do Estado de São Paulo, que se manifestou na condição de amicus curiae (amigo da Corte). Relator Em seu voto pela ilegalidade da reintegração, o ministro Dias Toffoli lembrou que a Fundação Padre Anchieta

Comentários estão encerrados.

Previous post:

Next post: